Ficções apaixonadas

    Gênero, narrativa e violência em Clarice Lispector

    Marta Peixoto

    R$ 32,00

    Informações do Livro

    » Características Técnicas

    • ISBN: 8588782154
    • Formato: 14 x 21 cm
    • Páginas: 232
    • Tradutor: Maria Luiza X. de A. Borges
    • Destaque: Apresentação de Flora Süssekind

    » Resumo

    Em Ficções apaixonadas a autora estuda a dimensão feminina da escrita de Clarice Lispector. É nos textos metaficcionais, em que se discute o ato de escrever, que encontra os melhores exemplos da luta feroz de Clarice com o gênero e a narrativa, luta que produz uma violência formal e temática. Como assinala Flora Süssekind, há um trecho de Um sopro de vida - "sinto em mim uma violência subterrânea, violência que só vem à tona no ato de escrever" - que parece servir de mote ao rastreamento analítico empreendido pela autora. No cap. 1,  justapõe o 1º. romance, Perto do coração selvagem e o conto "Os desastres de Sofia", lidos como retratos ficcionais da artista em desenvolvimento e como meditações sobre o gênero e a vocação da escritora mulher. No cap. 2, nas tramas dos contos de Laços de família, examina a narrativa da formação e inserção da mulher na sociedade. No cap. 3 a autora faz uma crítica à leitura que Hélène Cixous fez de Clarice (Reading with Clarice Lispector, 1990). No cap.4, estuda Água viva e A via crucis do corpo e analisa as particularidades da escrita de uma mulher, as tensões conflituosas da vida interior dos personagens aparecem aqui no questionamento da própria ficção que produz. No cap. 5, analisa A hora da estrela e aponta uma progressão na obra de Clarice, em que a violência contra as mulheres é inerente a estruturas sociais, ideológicas e estéticas.