Imprensa

"Reflexões libertárias", Jornal da Biblioteca Pública do Paraná

Publicada em 07 de Julho de 2014

Um dos maiores comentadores da contracultura no Brasil, o jornalista e escritor Luiz Carlos Maciel fala sobre o impacto literário e comportamental da beat generation, que ele conheceu quando morou nos EUA

Texto: Omar Godoy | Foto: Paula Giolito - Revista Brasileiros

“Se você está fazendo essa entrevista comigo agora, é muito mais por causa da repercussão da atitude beat do que pela linguagem literária dos escritores daquele grupo”, garante o filósofo, jornalista, escritor e roteirista Luiz Carlos Maciel, de 76 anos. Considerado um dos “gurus” da contracultura no Brasil, Maciel ficou conhecido por apresentar as novidades culturais e comportamentais das décadas de 1960 e 1970 aos leitores de publicações como Flor do mal, O Pasquim (do qual foi um dos fundadores) e Rolling Stone (em sua primeira versão brasileira). Tudo o que fosse libertário e marginal (no sentido de se posicionar à margem) era analisado e decodificado para um público que não tinha acesso a conteúdos internacionais. (...)

Para ler a matéria na íntegra clique aqui.


Fonte: http://www.candido.bpp.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=63

Clique nas imagens para ampliar.

voltar para o topo